Slow é um movimento sustentável, uma alternativa à produção em massa que vem ganhando força e veio pra ficar. Foi criado em 2008 pela inglesa Kate Fletcher, consultora e professora de design sustentável do britânico Centre for Sustainable Fashion, inspirado no movimento Slow Food. 

Assim como em relação à nossa alimentação, ele incentiva a tomada de mais consciência dos produtos que consumimos, retomando a conexão com a maneira na qual eles são produzidos, valorizando a diversidade e a riqueza das nossas tradições.

Sabemos que a indústria mainstream da moda depende dessa produção em massa, oferecendo preços muito baixos e inúmeros lançamentos e coleções. Tudo em um tempo curtíssimo – do processo de design (e das réplicas das tendências apresentadas nas passarelas) para as lojas.

Esse consumo excessivo e desenfreado, sem nos aprofundar sobre as origens, traz um preço oculto para o meio ambiente e para os trabalhadores da cadeia de produção.

Por isso, nos esforçamos para valorizar o trabalho das pessoas envolvidas ao longo de toda a cadeia de produção, mantendo vivos os métodos tradicionais de fabricação, como aqueles feitos à mão, assim como processos mais manuais e menos automatizados. As peças são feitas uma por uma e em menor escala, trazendo além de tudo mais exclusividade para você. 

O “lento” do slow não é pensado como velocidade. Mas sim numa visão de mundo diferente, que promove o prazer da variedade, diversidade e a importância cultural.

Com a globalização da moda tudo ficou parecido e homogêneo. Você reparou?! Todo mundo se vestindo praticamente da mesma maneira, como uma massificação da personalidade. 

Dessa maneira, o nosso instuito é, acima de tudo, priorizando sempre a qualidade dos produtos oferecidos, aliar a consciência da produção e do consumo à originalidade e valorização dos trabalhos manuais.